Publicado em Durante², Segunda Vez: Holanda, Viagens²

Viagem: Itália e Alemanha (Parte 3)

Segunda – 20 de Fevereiro de 2017

Querido Diário,

Continuando, cheguei de ônibus em Stuttgart e minha colega Lea (que é alemã e que conheci quando eu fui au pair nos EUA), foi me pegar lá de carro. Fomos até a casa dela, em Wallhausen, onde eu fiquei hospedada. Já conheci a família toda dela nesse primeiro momento e, devo dizer, foi meio esquisito porque eu não sou muito próxima dela. E aí eu decidi que não queria passar a semana inteira lá como eu tinha planejado e comecei a procurar trem pra ir pra Munique, pra ver minha amiga Vitória que tava passeando por lá com a mãe e uma tia.

Na segunda (11 de Agosto), eu e a Lea saímos depois do café da manhã pra andar pela cidade, que é bem pequena. Passamos por uma daquelas torres de água – da qual ela tinha a chave (não sei porque) – e pudemos subir e ter uma vista de praticamente toda a cidade. Depois passamos pela prefeitura – Rathaus -, onde também entramos. E, conversando com a Lea sobre a possibilidade de ir ao cinema, descobri que não ia rolar porque os filmes lá são todos dublados.. e eu não sei Alemão (ainda).

wallhausen

Depois do almoço fomos de carro até Crailsheim, uma cidadezinha vizinha. As duas cidades são tão próximas que mais pareciam bairros vizinhos. Andamos um pouco por lá e depois voltamos pra Wallhausen porque ela tinha que se encontrar com um amigo pra um ensaio da Igreja. Eu fui junto, o que foi esquisito de novo. Mas compramos antes a minha passagem pra Munique, o que me deixou mais feliz.

crailsheim

Então na terça, acordei bem cedo e a Lea me deixou na estação de Crailsheim pra que eu pegasse o trem pra Munique. Demorou quase 3h a viagem e tive que trocar de trem duas vezes, mas foi bem simples porque era só mudar de lado na plataforma. Cheguei em Munique por volta de 10h30, desci na estação central – Hauptbanhof – e fui andando até a Marienplatz, onde ia me encontrar com a Vitória. Foi bem fácil chegar lá e a caminhada durou uns 20 minutos. Tinha muita gente na praça em frente à igreja – Frauenkirche – esperando dar 11h pra verem o relógio tocar e os bonequinhos saírem dele. Eu ainda tava lá quando ele tocou, achei bem legal.

munique-01

Depois que me encontrei com a Vitória (mais mãe e tia), fomos andar por ali. Tava rolando uma feirinha/mercado com várias coisas pra vender, a maioria comida (tinha inclusive umas cabeças de porco). Daí uma amiga da Vi apareceu e fomos todas pegar o metrô pro English Garden. A estação era meio longe do parque, daí tivemos que andar um bocadinho pra chegar lá. E parece que existe um tipo de “ticket família” pro metrô, onde um ticket serve pra umas 4 pessoas. Não sei direito como funciona. Mas enfim, chegamos lá no parque, que tem um restaurante e um biergarten, que é uma área onde vendem cerveja e comidas locais e as pessoas comem em mesas bem grandes, onde várias pessoas diferentes podem se sentar e dividir (a mesa, não a comida). Achei bem legal. Almoçamos lá e depois a amiga da Vi teve que ir embora, nos deixando com medo de não saber sair dali e chegar na estação de metrô pra ir embora. Mas deu tudo certo. Fomos andando devagar pelo parque e paramos um pouco pra sermos bem europeias sentando/deitando na grama e curtindo um solzinho.

munique-02

No final da tarde pegamos o metrô de volta, passamos na Marienplatz pra comprar souvenirs e fui até o hotel delas com elas. Umas 22h eu e Vi saímos pra achar um canto pra comer, sem medo de sermos roubadas ou mortas. Achamos um Vapiano (recomendo), que é um restaurante de massas muito bom e com preço razoável. Só lá pras 23h30 eu peguei um tram pra ir pro meu hostel, chamado The Tent. E ele faz jus ao nome.

Foi bem fácil achar o local, mas dessa vez, como eu tava sozinha, bateu um medinho de andar lá de noite. Trauma de brasileiro, acho. Mas deu tudo certo. Chegando lá já percebi o motivo do nome: parecia que eu tava num acampamento gigante. Tinha um pessoal jogando basquete numa quadra e outros sentados ao redor de uma fogueira, tocando violão e cantando. Adorei o clima logo de cara. Quando fiz o check in, recebi “somente” quatro cobertores bem grossos. O motivo: as camas não ficam entre quatro paredes, mas sim debaixo de uma barraca gigante (tenda) e, por isso, faz um bocadinho de frio. Não sei quantas barracas tinham, mas eram uns 50 beliches em cada, realmente como um grande acampamento. Tinha armários de vários tamanhos lá mas, como sempre, você deve levar o seu próprio cadeado. Os banheiros eram “normais”, com paredes, e bem limpos. No geral adorei o lugar (o preço também era ótimo), o único problema é que, como onde dormimos não tinha paredes, não tinha proteção contra som e dava pra ouvir todo barulho que as pessoas do lado de fora da tenda faziam, daí acordei várias vezes durante a noite por causa disso.

Só fiquei essa noite em Munique (acho que foi a primeira vez que fiz um bate-volta e só viajei com a roupa do corpo, foi uma experiência legal) e aí fui embora do hostel por volta de 12h. Lá não tinha café da manhã incluído, mas eles tinham uma pequena cafeteria e eu consegui comer legal gastando só 5 euros. Também tem wifi lá, mas o sinal não era muito bom. Fiz a loucura de ir andando de lá até a estação de trem, só porque eu tinha muito tempo disponível. A caminhada durou 1h e peguei o trem pra Crailsheim, onde a Lea foi me buscar.

Jantamos cedo e depois comemos sorvete e cookies, o que foi muito apreciado por mim. Depois eu fui com ela na casa de um amigo dela que tava fazendo aniversário e dessa vez foi mais interessante do que esquisito. Primeiro porque quase ninguém falava Inglês, depois porque, apesar do aniversário ser de um adulto, tinham oito crianças lá. E, por motivos que sempre são obscuros pra mim, algumas gostaram de mim. Acabei então passando mais tempo com as crianças do que com os adultos (existe algo como “espírito de au pair”? Talvez eu tenha isso). Elas ficaram tentando me ensinar os números em Alemão e depois me levaram pra ver os animais que tinha lá. A casa era como se fosse uma mini fazenda. E, por fim, encerramos as atividades jogando futebol. Foi divertido até. Depois que voltamos pra casa da Lea ainda jogamos um pouco de Ludo com os pais dela.

Depois eu volto pra continuar. Só mais uma parte e eu encerro sobre essa viagem. Vou postar também quanto eu gastei, todos os gastos com todas as viagens/intercâmbios você pode conferir no menu acima. Alguém aí já viajou só com a roupa do corpo?

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s